Família e Relacionamento

O que é a Alienação Parental?

Quando os pais se separam acabam afastando o filhos da convivência do outro.

Alienação Parental ou PAS que é sua sigla em inglês PAS é uma situação em que a mãe ou o pai incentiva a criança ficar contra um ou outro rompendo os laços afetivos ou gerando sentimentos de ansiedade e medo. Este termo surgiu em 1985 através de Richard Gardner.

Publicidade

Este comportamento ocorre geralmente quando o casal se separa e um quer se vingar do outro. E o filho é usado como instrumento para esta vingança.

Os pais não comunicam ao o outro fatos importantes do filhos relacionados a escola, médico e comemorações, controlam os horários de visita entre outras atitudes para desmotivar a visita ao outro. Também tenta obrigar a criança a escolher entre a mãe ou o pai. Também faz falsas acusações em relação ao pai ou a mãe.
As crianças que passam por esta situação podem apresentar distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico. Muitas vezes fazem o uso de drogas e álcool para aliviar a culpa, tem baixa auto-estima.

Publicidade

Existe um Projeto de Lei para Alienação Parental. A lei prevê que é crime fazer falsa denúncia contra o genitor, ou até mesmo outros familiares ou mudar de residência sem comunicar o pai ou a mãe, isto poderá acarretar punição. A lei que regulamenta este problema é Lei Nº 12.318, de 26 de agosto de 2010. Quem ajudou a elaborar este projeto de lei foi o Dr. Elizio Perez que é um dos maiores estudiosos do assunto no Brasil.

No Brasil exitem aproximadamente 20 milhões de filhos filhos de pais separados e deste cerca de 16 milhões sofrem esta síndrome.

No Estatuto da Criança e Adolescente apresenta em seu artigo 213, que o alienador pode receber multa caso ele não concorde ou atrapalhe a visitação.

Este problema também é preocupação em vários lugares do mundo como Canadá, Chile, Estados Unidos, Portugal.

Em alguns casos a mãe usa frases como “Seu pai atrasou o pagamento da pensão” ou “Sua mãe não deixou eu falar com você ontem”.

Para acabar com esta prática somente é possível através da conscientização do alienador ou através de muita conversa com ele para entender que o maior prejudicado é a criança que fica atormentada e com problemas psicológicos. Esta criança provavelmente vai apresentar problemas emocionais em seus relacionamentos até mesmo quando adultas. Então cabe aos pais tentarem se separar e manter um relacionamento amigável para que os filhos possam ter uma vida tranquila, podendo conviver tanto com o pai ou com a mãe apesar dos mesmos já não apresentarem vínculos afetivos.

Publicidade

Deixe uma resposta