O que é a Opus Dei?

Por: Amaury de Almeida Costa

A Opus Dei é uma organização católica que pretende trazer a ética cristã à vida cotidiana.

A Opus Dei (em latim, “obra de Deus”) foi fundada por José María Escrivá de Balaguer, padre católico nascido na Espanha. A instituição foi fundada em 1928 e é composta por leigos solteiros e casados e por padres católicos. O objetivo primordial é aproximar o cotidiano dos anos às verdades (ou dogmas) católicas. A partir de 1930, as mulheres passaram a ser aceitas na Opus Dei. O slogan do site oficial no Brasil é “encontrando Deus no trabalho e na vida cotidiana”.

O que é a Opus Dei?

A instituição é uma prelazia pessoal da Igreja Católica. Isto significa que ela cumpre funções pastorais em qualquer local em que estejam seus membros. A Opus Dei não tem uma limitação territorial, como é o caso das dioceses, por exemplo. Em geral, a linha de atuação é traçada pelos clérigos da instituição, sob orientação do Vaticano.

A Opus Dei é formada por fiéis supernumerários, pessoas que têm carreiras profissionais convencionais e exercem a santificação das suas funções no dia a dia. Como obrigações, devem reservar alguns momentos do dia para orações, participar regularmente de seminários e palestras sobre temas católicos e participar de retiros espirituais anuais. Os supernumerários são a maioria dos membros da Opus Dei, estimados em 70% do total.

Há também os fiéis numerários, que podem viver em centros da Opus Dei, sem que isso impeça o desenvolvimento de suas atividades de trabalho. Os fiéis adstritos moram onde for mais conveniente. Por fim, as numerárias auxiliares realizam as atividades domésticas dos centros da instituição. Estes três grupos fazem voto de castidade (renunciam ao casamento e às relações sexuais).

Os colaboradores não pertencem de fato à Opus Dei, mas colaboram com ela, por se identificarem com seus ideais. Em geral, oferecem doações em dinheiro ou em atividades assistenciais.

Durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e na ditadura estabelecida por Francisco Franco, membros da Opus Dei foram acusados de apoiar o regime autoritário. Efetivamente, alguns fiéis chegaram a exercer funções ministeriais no governo de Franco, mas não há documentos que comprovem uma atuação firme de apoio. A Igreja Católica, na Espanha e em outros países, reconheceu governos de extrema direita, por temer a implantação de um regime comunista, aos moldes do adotado na ex-URSS, por definição, materialista e ateu.

Mais recentemente, Dan Brown ofereceu propaganda negativa da Opus Dei, ao associar seus membros a um segredo terrível da Igreja: Jesus não é Deus e teria tido filhos com Maria Madalena. O enredo serviu ao livro “O Código da Vinci”, de 2003, é apenas um romance policial muito bem-sucedido. Vendeu 40 milhões de cópias.

Em 2002, o padre Escrivá foi canonizado pelo papa João Paulo II.

Deixe uma resposta