O que é acarajé?

Por:

Comida típica da Bahia é vendido nos tradicionais tabuleiros das baianas.

Acarajé ou Akará é uma comida afro-brasileira e pertence a culinária baiana usada no ritual do Candomblé da orixá Iansã. É feito de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, frito em azeite-de-dendê. Para acompanhar pode servido com pimenta, camarão seco, vatapá, caruru, salada, que também fazem parte da cozinha baiana. O acarajé é vendido no tabuleiro da baiana e o tempero é mais forte do que o servido no orixá.

O que é acarajé?

O bolinho de acarajé teve origem na relação de Xangô com suas esposas, Oxum e Iansã. O bolinho então ficou sendo uma oferenda a esses orixás e só pode preparado pelos filhos-de-santo.

O acarajé chegou ao Brasil na Bahia, através dos escravos de etnia nagô, das regiões iorubás da Nigéria e do atual Benin que agora é Daomé. O acarajé foi descrito em 1885, na África pelo padre francês Pierre Bouche.

Na literatura brasileira o acarajé aparece pela primeira vez através do professor de grego Luis dos Santos Vilhena, em 1802, ele fica chocado com o consumo público das comidas Esses pratos naquela época só eram consumidos pelos negros, escravos e livres, moradores de rua e pessoas pobres.

O padre ficou horrorizado naquele tempo pois pessoas importantes, com situação financeira muito boa e com estudo estavam consumindo e gostando do tempero diferente destas comidas.

Na África quando existia o tráfico de escravos, os acarajés eram usados como “iscas” e atraiam as crianças para armadilhas. Depois elas eram vendidas como escravas.
O acarajé é frito no azeite de dendê, o bolinho é cortado ao meio e recheado com um molho feito com camarão seco, pimenta e cebola. No Rio de Janeiro este prato é feito com azeite doce.

As baianas do acarajé existem em Salvador a muitos anos, mas só em 2005 este trabalho tornou-se patrimônio cultural do Brasil e quem registrou pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Também está inscrito no Livro dos Saberes e trata-se da prática tradicional de produção e venda em tabuleiro das comidas de baiana.

As baianas do acarajé usam roupas tradicionais, como a saia rodada, turbante na cabeça.

Em seus tabuleiros não tem só acarajé, como também vatapá, o camarão seco, queijada, passarinha, cocada branca e preta.

O ofício de baiana não teria tanta importância se o acarajé fosse uma comida tradicional. As baianas sofrem com a concorrência pois o acarajé é vendido em bares, supermercados e restaurantes, este dizem que é um alimento fast-food. Para elas é um alimento sagrado apesar do seu surgimento estar ligado a um ambiente profano.

Deixe uma resposta