Artes e Cultura

O que é biodança?

Criada pelo psicólogo chileno Rolando Toro Araneda nos anos 1960, a biodança é uma espécie de terapia não verbal.

A biodança é um método de conscientização pessoal, renovação orgânica e integração afetiva através de contatos não verbais de um grupo, estabelecidas por movimentos de dança e músicas escolhidas. A técnica utiliza vivências – experiências imediatas – para despertar potenciais adormecidos.

Publicidade

O criador da técnica, que também é antropólogo, não define a biodança como esporte ou terapia, apesar de seus efeitos terapêuticos, e muito menos como dança. De acordo com Toro, ela é um método pedagógico sobre a arte de viver bem consigo mesmo e com os que estão próximos. A biodança desenvolve a saúde integral, a ética e a alegria do encontro.

A biodança é uma experiência reeducacional cujo objetivo é criar, viver e amar, estabelecendo o contato com os outros, com a natureza e com a totalidade. Engloba cinco etapas, que os praticantes vão vivenciando gradualmente, de acordo com a sequência das aulas ou sessões. São elas:

Publicidade

• vitalidade: está relacionada ao instinto de conservação. Exercícios intensos afastam as preocupações cotidianas. A meta é expandir a energia vital;
• sexualidade: o desbloqueio de tabus ocorre com o desenvolvimento do contato físico progressivo e estimula a capacidade de sentir prazer (não apesar genital);
• criatividade: copiar e adaptar movimentos de acordo com a elasticidade corporal amplia a autoexpressão e os potenciais latentes;
• afetividade: trabalha as emoções, buscando captar e transmitir o afeto entre os participantes. Os exercícios são feitos em duplas ou grupos;
• transcendência: é a dilatação da consciência e desenvolvimento da sensação de ser único e, ao mesmo tempo, fazer parte de um todo maior, o mundo.

A biodança não se relaciona a nenhuma confissão religiosa, mas a experiência mística pode ocorrer individualmente, de acordo com as crenças do praticante. Para quem pratica a biodança, o sagrado faz parte do cotidiano. Da mesma forma, não se relaciona a questões políticas ou culturais.

A técnica baseia-se no sentir, pensar e agir, ao contrário do pensamento dominante no Ocidente, que cria uma dicotomia entre sentimentos e pensamentos. Com a regularidade das aulas, os praticantes começam a eliminar os medos do contato e do encontro. Para isto, as letras do repertório escolhido são muito importantes.

Não há restrições para a biodança: pode ser praticada por crianças, jovens, adultos e idosos. Há grupos específicos para gestantes, casais, portadores de transtornos mentais e até doentes terminais.

Os benefícios da prática são gradualmente transferidos para o dia a dia. Os adeptos da biodança afirmam ter obtido maior autonomia, facilidade nos contatos interpessoais e melhor tolerância e alteridade, além do aumento da resistência física, elasticidade e melhoria da consciência corporal.

Publicidade

Deixe uma resposta