Saúde e Bem Estar

O que é bipolaridade?

Um distúrbio caracterizado pela variação acentuada de humor, nas fases de euforia e depressão.

A bipolaridade, que atinge 4,2 brasileiros, é uma doença em que a pessoa sofre episódios de mudanças de humor constantes e súbitas. Também há casos em que a pessoa assume duas personalidades, o que pode levar a transtornos de memória.

Publicidade

Os transtornos bipolares podem ser graves, moderadas ou leves e devem ser considerados uma doença.

Essas variações do humor acontecem, principalmente, em pessoas de até 30 anos e tem importante repercussão comportamental e emocional. No entanto, a bipolaridade não tem nada a ver com mudanças repentinas de humor de uma pessoa.

Publicidade

A doença é caracterizada por crises de euforia (mania) e depressão. Quando a pessoa se alterna entre os dois, a crise é considerada mista. O transtorno pode ter origem genética e biológica. Além disso, o estresse e o nervosismo do dia-a-dia também devem ser considerados fatores importantes.

O diagnóstico é dificultado, às vezes, pela semelhança com outras doenças mentais.

Quando a doença se manifesta como euforia, por exemplo, os sintomas podem ser confundidos com esquizofrenia. Já no quadro de depressão, a dificuldade é ainda maior. É quase impossível diferenciar a depressão bipolar de outras. Por isso, para o diagnóstico correto é preciso um acompanhamento psicológico e familiar, o que pode levar semanas e até anos.

Além disso, o fato das crises serem espaçadas no início também é uma barreira, já que não permite a percepção de mudanças comportamentais do indivíduo devido ao longo espaço de tempo.

Entre os sintomas possíveis, quando o caso é de euforia, estão: sentir-se mais alegre, sociável, auto-confiante e inteligente no início da crise. Com a elevação do humor e a alteração psicológica podem surgir alguns outros sintomas como irritabilidade excessiva, alterações emocionais súbitas, aumento do anor próprio, energia excessiva – que pode levar a um quadro de hiperatividade -, aumento da vontade sexual, excesso de álcool e uso de drogas.

Na depressão, o quadro é de tristeza profunda, que pode levar a um sentimento de inutilidade, desespero, esquecimento, perda de interesse pelo trabalho e pela família, agitação, alteração de apetite e sono, diminuição do desejo sexual, choro em excesso e vontade de suicídio.

As crises podem durar semanas e, apesar de não existir nenhum tratamento para a cura da doença, o controle pode ser feito por psicólogos e medicamentos que diminuem a probabilidade de recaídas. As crises, quando depressivas, também podem ser tratadas com antidepressivos.

Publicidade

Deixe uma resposta