Artes e Cultura

O que é Cangaço?

Cangaço é um movimento social que aconteceu no interior do Nordeste brasileiro nos séculos XIX e XX. Foi uma ação violenta dos sertanejos chamados de cangaceiros contra os coronéis, polícia, governo estadual e federal.

Publicidade

Os cangaceiros assaltavam os viajantes nas estradas, nas propriedades e levavam terror para os povoados. Eles não tinham moradia fixa e viviam percorrendo o sertão, promovendo muita desordem e morte.

No Nordeste a vegetação é rasa e de cor cinza e os galhos e o chão são secos, apresentando muita poeira. Existe pouca água, mas quando há a vegetação é mais verde.
Os jagunços ou capangas eram homens que trabalhavam para os coronéis, eram vaqueiros, agricultores ou até mesmo assassinos e defendiam e eram mandados pelos seus patrão.

Publicidade

O primeiro cangaceiro foi o Cabeleira (José Gomes) que esteve presente em Pernambuco no final do século XVIII. Mas é em 1896 que o cangaço cresce com Antônio Silvino, porém é preso e condenado em 1918.

No início doa anos 20 surge Lampião (Virgulino Ferreira da Silva) que era filho de um pequeno fazendeiro em Pernambuco. Lampião briga por terras de família e lidera um grupo de cangaceiros.

Em 1930 conhece Maria Bonita que o acompanha de forma valente na luta contra os coronéis e as polícias estaduais.

Em 1938 é morto na divisa entre Sergipe e Bahia. Então o Corisco (Cristiano Gomes da Silva), o Diabo Louro continua na luta contra os policiais, mas morre em 1940 no meio de tiroteio. É neste momento que cangaço termina.

Era tanta a violência que onze mortos tiveram suas cabeças decapitadas e levadas para Salvador (BA), ficaram expostas no museu Nina Rodrigues. Então em 1968 foram sepultadas.

Depois do fim do cangaço, o Brasil sofria transformações econômicas e sociais. As fábricas do Rio de Janeiro e de São Paulo precisavam de funcionários e começou a atrair a população do nordeste que iam para lá em busca de novas oportunidades.

Apesar de toda esta violência o cangaço tornou-se um lenda no Nordeste e em todo o país, isto porque representou uma manifestação contra os coronéis e autoridades, responsáveis pela pobreza e exploração do povo daquela época.

Até o cantor e compositor Luiz Gonzaga usou as características do cangaço e usou na música brasileira.

Na literatura foi escrito o romance O Cabeleira (1876) de Franklin Távora e Grande sertão, veredas, de Guimarães Rosa.

Publicidade

Deixe uma resposta