O que é chuva ácida?

Por: Amaury de Almeida Costa

A chuva ácida ocorre em áreas degradadas, com altos níveis de poluição atmosférica.

Toda ação humana provoca impactos ambientais. a produção industrial, que cresce exponencialmente desde o século XIX, é a principal causa da poluição do ar. Partículas emitidas pelas chaminés das fábricas, e também pelos motores de automóveis, especialmente os movidos por combustíveis fósseis, mas também a etanol, em menor escala, ficam em suspensão na atmosfera.

O que é chuva ácida?

Apesar de toda chuva ser ácida, em função da diluição do carbono da água, que resulta na formação de ácido carbônico, o termo “chuva ácida” é aplicado a precipitações com pH (índice que mensura acidez e alcalinidade) baixo.

A relação entre acidez da chuva e poluição do ar foi descoberta em 1852, mas a preocupação com o fenômeno só se popularizou mais de 100 anos depois, quando um professor da Universidade de Toronto publicou, em 1972, um estudo sobre um lago “morto” no Canadá: a água com pH de 5,5 foi o suficiente para matar todas as trutas da região.

As causas da chuva ácida

A principal causa da acidificação da água da chuva – e também das precipitações de neve e granizo – é a presença de gases e partículas ricos em enxofre e nitrogênio reativo, cuja hidrólise no meio atmosférico produz ácidos fortes, especialmente os combinados com enxofre, que provocam o cheiro de “ovo podre” antes, durante e depois dos temporais.

Ainda no século XIX, no início da Revolução Industrial, a chuva ácida foi detectada na Inglaterra, primeiro país a utilizar carvão e vapor para mover máquinas têxteis. À época, não havia qualquer preocupação ambiental: cidades e florestas ficaram recobertas pela fuligem emitida pelas chaminés das fábricas.

As consequências

Os compostos nitrogenados gerados pelas altas temperaturas de queima dos combustíveis fósseis e os compostos de enxofre produzidos pela oxidação das impurezas sulfurosas presentes no carvão e petróleo, são os principais responsáveis pela chuva ácida, que, no médio prazo, danifica monumentos e fachadas de imóveis.
Para a geografia, chuvas com pH abaixo do nível de tolerância (igual a 4,5, numa escala que vai de 0 a 14) são consideradas ácidas e nocivas ao ambiente e à saúde da população.

O pH baixo também permite a circulação de metais pesados, como o alumínio, nos lagos, rios e mares costeiros. Este elemento determina que alguns peixes produzam muco em excesso na região das guelras, o que prejudica a respiração. A elevação da acidez inibe o desenvolvimento dos fitoplânctons (organismos microscópicos capazes de realizar a fotossíntese, fenômeno que permite a oxigenação dos oceanos) e os animais que se alimentam destas bactérias e microalgas – como peixes e baleias – são prejudicados pelos efeitos da chuva ácida.

A vegetação é prejudicada pela chuva ácida de várias maneiras. A superfície das folhas é rompida, impedindo a absorção de nutrientes, fator que reduz a imunidade das plantas. O ritmo do crescimento das raízes é reduzido, o que também afeta a nutrição. Os íons tóxicos acumulam-se no solo e fosfatos importantes para o desenvolvimento são dispersos.

A maior ameaça aos seres humanos são os mesmos íons que prejudicam as plantas. O cobre presente na chuva ácida está relacionado a epidemias de diarreia em crianças e jovens, assim como a água contaminada com alumínio e a maior incidência de casos da mal de Alzheimer.

Como resolver o problema

Os efeitos da chuva ácida podem ser minimizados com a melhoria do transporte público nas grandes cidades, o que reduziria no médio prazo o número de carros em circulação, assim como o transporte e hidroviário ferroviário de cargas para abastecimento das regiões urbanas. Num país como o Brasil, no entanto, seria necessário ampliar em muito as linhas de trens e hidrovias.

É preciso também reduzir o teor de enxofre nos combustíveis e incentivar a produção dos chamados combustíveis limpos, como biogás, biomassa e energia produzida em hidrelétricas. Pesquisas para ampliar o uso da energia eólica e solar favorecerão a redução da poluição atmosférica.

A descentralização industrial, aliada a uma política forte de inspeção de emissão de resíduos da produção, é um importante instrumento para reduzir a precipitação ácida.

Com todas estas providências, conscientizar a população é extremamente importante, mas isto depende de muitos outros fatores, como segurança pública e qualidade dos transportes.

Deixe uma resposta