Ciência e Matemática

O que é criogenia?

Pensando em reviver os mortos algum dia, a ciência desenvolveu uma técnica para congelar os corpos e mantê-los preservados por anos.

A criogenia humana consiste em congelar os cadáveres por anos e anos para ressuscitá-los no futuro. O que se sabe atualmente é que óvulos fecundados que passam pela criogenia têm grandes chances de sobreviver. Cerca de 60% dos óvulos congelados geram bebês. Por esse motivo, tem bastante gente apostando que vai ser possível fazer isso com humanos. Em torno de 100 pessoas estão congeladas atualmente para voltar a viver algum dia. A primeira parte é fácil, o que ainda não descobriram é como descongelar.

Publicidade

Na teoria é bem interessante: a pessoa morre e vai parar numa espécie de banheira com nitrogênio líquido a -196º C, para que o corpo não se decomponha. Depois de meio milênio os cientistas descongelam a pessoa, curam a doença que ela sofria, e ela é bem-vinda de volta.

Mas na prática não é bem assim. O físico americano Robert Ettinger diz que o processo é bem mais complicado, já que o fato de congelar o corpo danifica alguns tecidos que só poderiam ser recompostos com tecnologias que ainda não temos.

Publicidade

Atualmente apenas embriões são congelados, pois em humanos o líquido dentro das células congelaria, fazendo-as ficarem maior e trincarem. Nos embriões isso não acontece porque substâncias químicas são injetadas, evitando que o gelo se forme, mantendo as células intactas. De acordo com Ricardo Baruffi, ginecologista especializado em congelar embriões, nos humanos, cada tecido precisaria de substâncias diferentes e muitas delas ainda não foram criadas.

As duas únicas empresas que praticam a criogenia humana ficam nos EUA. Até mesmo alguns bichos de estimação já foram congelados para voltar à vida com os companheiros humanos. Os preços para congelamento variam.

Empresa Alcor: R$ 352 mil (corpo inteiro) e R$ 146 mil (só a cabeça, para que o cérebro seja conectado em outro corpo). Crynics Institute: R$ 82 mil (corpo inteiro) e R$ 17 mil (bicho de estimação).

Abaixo de zero

1. Logo após a morte, um funcionário refresca o corpo (do morto) com gelo. A temperatura fica quase em 0º. Não é tão frio, mas impede que bactérias deteriorem o cadáver por certo tempo.

2. Injeção com agente anticoagulante deixa veias e artérias livres. O sangue é drenado do corpo e no lugar, substâncias para preservar a célula do gelo são incluídas.

3. O corpo é levado ao local onde permanecerá congelado e é resfriado gradativamente em uma sala de gelo seco. Os diferentes tecidos devem congelar no mesmo ritmo para o corpo não ser prejudicado. Até atingir -79º podem se passar até dois dias.

4. Após resfriado, o cadáver é descido lentamente por um tanque contendo nitrogênio líquido até que esteja todo submerso. Depois de uma semana nesse nível, o corpo atingiu – 196º C e não se degradará. A banheira congelada será o lar do morto até o fim dos tempos ou até que descubram como recuperar a vida depois.

Publicidade

Deixe uma resposta