O que é desigualdade social

Por: Juliana Batista

Entenda mais sobre o que é desigualdade social e qual a proporção da pobreza no Brasil e no mundo.

A desigualdade social não é uma característica apenas do terceiro mundo, mas é fato que nos países latinos essa discrepância social é bem maior do que em outros países do mundo conhecidos como países de primeiro mundo. Podemos considerar desigualdade social qualquer situação onde, dentro de uma sociedade, exista um bloco de pessoas em desvantagem financeira e social, no geral. A desigualdade social é consequência da má distribuição da riqueza, gerando um forte contraste econômico e social entre a população.

O que é desigualdade social

Segundo estudos recentes, o Brasil tem o terceiro pior índice de pobreza mundial, tendo nesta lista países como Caribe, Equador, Bolívia e Haiti. Este mesmo estudo aponta que 58% da população brasileira mantém o mesmo status social há duas gerações.

O capitalismo é apontado como um dos fatores do aumento da desigualdade social, principalmente depois da revolução industrial. Filósofos como Karl Marx diziam que o capitalismo era uma força de expressão de apenas uma parte da sociedade e não um consenso de uma maioria, como seria adequado ser.

A pobreza e a desigualdade social é mais enraizada nos países que chamamos de países subdesenvolvidos industrializados, como Brasil, China, México, África do Sul e Coreia do Sul.

Veja abaixo mais alguns dados relevantes sobre a desigualdade social no Brasil e no mundo:

· Atualmente, a proporção de jovens entre 15 e 17 anos cursando o ensino médio no Brasil é de 50,4%. Já entre negros e pardos o número cai para 42,2% e entre brancos é de 61%;

· No Brasil, cidades de porte médio, com população entre 10 mil e 50 mil habitantes, são as que apresentaram a maior incidência de pobreza;

· O Amapá detém a maior proporção de pessoas com rendimento domiciliar per capita de até R$ 70 (5,5%) e até um quarto de salário mínimo (16,7%);

· 80% da riqueza mundial está nas mãos de 15% dos países mais ricos;

· Cerca de 180 milhões de pessoas no mundo todo são submetidas a trabalhos perigosos, escravidão, recrutamento forçado no Exército, prostituição e outras atividades ilegais;

· 97% é o percentual de crianças exploradas que se encontram nos países pobres ou em desenvolvimento, como a África, onde metade dos que tem entre 5 e 14 anos já trabalham efetivamente;

· A renda dos americanos mais ricos subiu 15 vezes mais rápido que a dos pobres desde 1979, denotando que até nos países de primeiro mundo existe algum tipo de desigualdade social.

Deixe uma resposta