Saúde e Bem Estar

O que é edema pulmonar?

O edema pulmonar é o acúmulo de fluidos nos pulmões, que dificulta as trocas gasosas entre O2 e CO2.

Um edema pulmonar prejudica as trocas gasosas – a chamada respiração superior, em que o sangue venoso, carregado de dióxido de carbono retirado das diversas células, é renovado e recebe o gás oxigênio, que é novamente transportado através das artérias para os diversos tecidos e órgãos do corpo humano. O oxigênio é o combustível das células; combinado com a glicose, ele fornece a energia necessária para as atividades do organismo. Com o acúmulo de líquidos, ocorre a insuficiência respiratória.

Publicidade

O edema pulmonar pode ser causado por insuficiência cardíaca (é o fator mais comum do problema). Isto ocorre quando o coração não tem capacidade para drenar todo o sangue enviado para os pulmões para ser oxigenado: a pressão nas veias pulmonares aumenta, para compensar a insuficiência, e com isto o líquido é empurrado para dentro dos alvéolos (pequenas estruturas situadas no final dos bronquíolos, nas quais se realiza a hematose, onde as trocas gasosas se estabilizam), fato que provoca a falta de ar.

O lado esquerdo do coração é o responsável por bombear sangue rico em oxigênio em direção ao corpo. Depois de irrigar órgãos e tecidos, o sangue, agora pobre em oxigênio é rico em gás carbônico, retorna para o lado direito do coração, sendo imediatamente lançado nos pulmões, onde é novamente oxigenado e retorna para o lado esquerdo, num círculo virtuoso que permite o equilíbrio orgânico.

Publicidade

Quando o coração adoece, estas tarefas não são realizadas adequadamente. A bomba cardíaca falha, provocando um congestionamento se sangue nos vasos pulmonares. Na insuficiência cardíaca, o edema pulmonar se desenvolve lentamente, a não ser que outros fatores determinem uma piora drástica nas funções do coração.

Outras causas

Outras causas do edema pulmonar são lesões pulmonares (provocadas pela aspiração de gases tóxicos ou infecções graves), traumas, insuficiência renal, problemas cardíacos e alguns medicamentos.

Pacientes com insuficiência renal acumulam água e sal no organismo. Nos casos em que os pacientes não conseguem urinar em volumes adequados, a quantidade de líquidos retidos nos vasos pode ser tão grande que eles tendem a extravasar, gerando edemas nos pulmões e em outros órgãos. Normalmente, são tratados com diuréticos, mas se não responderem bem à medicação, é necessária a hemodiálise.

As infecções, especialmente as provocadas por vírus, podem inflamar os pulmões, aumentando a permeabilidade dos vasos. Com isto, os líquidos também são derramados e retidos nestes órgãos. Este quadro clínico é conhecido como SARA – síndrome da angústia respiratória aguda.

Viagens para altitudes elevadas também predispõem a formação de edemas. Acima dos 2.500 metros, acredita-se que o ar rarefeito provoque alterações na vasculatura pulmonar, facilitando o extravasamento de líquidos. Isto ocorre especialmente após a ingestão excessiva de álcool durante a viagem, quando o deslocamento da baixa para a alta altitude ocorre muito rápido e quando os exercícios são efeitos imediatamente após a chegada à região montanhosa, sem que o atleta tenha tido tempo de se aclimatar. É comum ver os jogadores brasileiros sofrerem quando são escalados para uma partida de futebol em La Paz, capital da Bolívia, a mais de 3.600 metros de altitude.

O consumo de drogas sintéticas, como cocaína e heroína, também aumenta a permeabilidade dos vasos sanguíneos. O mesmo ocorre com intoxicação por ácido acetilsalicílico (AAS), a popular aspirina.

Diagnóstico e tratamento

Em pacientes que desenvolvem o edema pulmonar lentamente, os sintomas são progressivos: cansaço (mesmo em repouso), intolerância a esforços, falta de ar ao se deitar (geralmente os pacientes adotam travesseiros extras, para conseguir dormir melhor), inchaço nos pés e tornozelos e chiado no peito.

Se houver uma intercorrência aguda, como um infarto do miocárdio ou uma crise hipertensiva, o paciente passa a apresentar sensação de afogamento, agitação, tosse com secreção e taquicardia. O socorro médico, então, é urgente. É preciso fornecer oxigênio imediatamente e pode ser necessária a intubação orotraqueal, com ventilação mecânica.

O edema pulmonar está sempre relacionado a outro problema de saúde. Na avaliação, o médico irá verificar as condições clínicas do paciente, para indicar o tratamento mais adequado. O ideal é procurar auxílio logo que os primeiros sintomas se instalarem.

Publicidade

Deixe uma resposta