Curiosidades

O que é genética?

Genética é a parte da Biologia que estuda a transmissão de características de geração para geração.

A palavra genética vem do grego e significa fazer nascer. É o ramo da ciência que estuda a hereditariedade – a transmissão de características físicas e biológicas de pais para filhos, e também as mutações – as variações cromossômicas ocorridas nos descendentes.

Publicidade

O termo foi cunhado pelo biólogo inglês John Bateson, em 1908. A genética é um conhecimento relativamente recente: sua história teve início em 1866, quando o monge tcheco Gregor Mendel estabeleceu os padrões de hereditariedade em ervilhas. Mendel definiu o conceito de alelo, equivalente à palavra gene, mais utilizada atualmente. Alelo é usado para definir variantes de um gene.

O trabalho de Mendel só foi reconhecido após sua morte, mas o monge nunca conheceu a real natureza dos genes. Apenas em 1953 os cientistas James Watson (EUA) e Francis Crick (Inglaterra) publicaram estudos sobre a estrutura cromossômica, demonstrando que a informação genética e definida pelos ácidos nucleicos. A descoberta lhes valeu o Prêmio Nobel de Medicina, em 1962.

Publicidade

O DNA

O ácido desoxirribonucleico (DNA, na sigla em inglês) é o responsável pela hereditariedade. Suas moléculas contêm instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento dos seres vivos e de alguns vírus (os demais, chamados retrovírus precisam invadir uma célula de outro organismo para replicar, ou se reproduzir).

O sequenciamento completo do DNA, que se concentra no núcleo das células, é chamado genoma. A principal função do DNA no organismo é produzir as proteínas que as células e os vírus precisam para o metabolismo e desenvolvimento. Antes de acontecerem as divisões celulares. O DNA é duplicado no núcleo; assim, as duas células filhas são idênticas à que deu origem a elas.

O DNA é uma molécula constituída por duas cadeias em forma de dupla hélice, unidas entre si por ligações de hidrogênio entre as bases nitrogenadas: adenina, timina, guanina e citosina. O conhecimento sobre a genética, no entanto, continuou indireto até o início de dezembro de 2012, quando a molécula de DNA foi fotografada pela primeira vez.

O desenvolvimento da genética

Já na Pré-História, agricultores e pastores aplicavam conhecimentos empíricos da genética, utilizando o cruzamento seletivo (animais mais fortes, com mais lã ou leite, por exemplo) e a seleção dos vegetais comestíveis mais resistentes.

Durante milhares de anos, no entanto, sabia-se que a seleção dos melhores espécimes ampliava a produção agropecuária, mas não se sabia por quê. Mesmo Charles Darwin, que desenvolveu a Teoria da Evolução das Espécies, não tinha conhecimento sobre genética.

Com o advento do Biologia molecular, possibilitado pela sofisticação de microscópios, o campo da genética ampliou-se consideravelmente. Estudos teóricos permitiram, por exemplo, a clonagem e a fecundação in vitro. A prevenção e tratamento de diversas doenças – inclusive o câncer – podem ser otimizados com estudos genéticos.

Cientistas já conseguem isolar e substituir (ou eliminar) genes defeituosos, responsáveis por doenças. Em organismos mais simples, é possível alterar a carga genética – a bactéria Salmonella, modificada, está sendo usada em tratamentos contra sarcomas.

Organismos geneticamente modificados (OGM) já são realidade na indústria agrícola. Milho, soja e cana-de-açúcar, por exemplo, foram alterados para resistirem a pragas e também aos próprios inseticidas, que passam a ser aplicados em menor quantidade, o que reduz o impacto ambiental. A produção por hectare aumenta e o preço cai. Mas ainda são necessários estudos sobre os efeitos para a saúde.

Na pecuária, técnicas de clonagem podem ser adotadas para selecionar os melhores espécimes. Ainda são necessárias pesquisas para evitar doenças nos animais “duplicados”.

Em breve, bebês terão seu DNA sequenciado ainda na maternidade. Com esta informação, médicos poderão identificar deficiências futuras. O tratamento será personalizado, de acordo com a carga genética de cada indivíduo, garantindo mais qualidade de vida para a população.

Publicidade

Deixe uma resposta