O que é Incontinência Urinária?

Por:

Doença que acomete ambos os sexos e qualquer idade, muitas vezes classificada como uma doença de idoso, mas também ocorre muito frequentemente em crianças

A incontinência urinária é um distúrbio, onde ocorre a perda involuntária da urina, através da uretra, ocasionando, muitas vezes, constrangimento para a pessoa. De forma geral ocorre quando, a pressão dentro da bexiga excede aquela que se verifica dentro da uretra ou seja há um aumento considerável da pressão para urinar dentro da bexiga, isso ocorre durante a fase de enchimento do ciclo de micção.

O que é Incontinência Urinária?

Ocorre mais frequentemente no sexo feminino e pode manifestar-se em mulheres jovens ou idosas. Atribui-se essa prevalência ao fato da mulher apresentar, além da uretra, duas falhas naturais no assoalho pélvico: o hiato vaginal e o hiato retal. Isso faz com que as estruturas musculares, que dão sustentação aos órgãos pélvicos e produzem a contração da uretra para evitar a perda urinária, sejam mais frágeis.

Pode ser designada também de Enurese e ocorre com certa frequência à noite, principalmente entre os idosos.

Existem alguns tipos de incontinência urinária e são classificadas como: de esforço – o sintoma inicial é a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício, movimenta-se; de urgência – mais grave do que a de esforço, caracteriza-se pela vontade súbita de urinar que ocorre em meio às atividades diárias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro; e a mista – associa os dois tipos de incontinência citados e o sintoma mais importante é a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra.

Há a incontinência urinária que ocorre nas crianças e pode ser devido a um estado emocional de insegurança, por exemplo, ou inflamação da bexiga.

Em algumas situações, o controle da eliminação da urina, que é feito pelo sistema nervoso autônomo, pode estar comprometido, como: gravidez e parto, obesidade, comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico, doenças que comprimem a bexiga, tumores malignos e benignos, tosse crônica dos fumantes, entre outras.

Somente um médico urologista poderá realizar o diagnóstico e identificar a causa e o tipo de perda urinária apresentada pela pessoa. Dependendo do tipo de incontinência urinária, há um tratamento específico. É um distúrbio que não deve ser tratado como um mal inevitável na vida das mulheres depois dos 50, 60 anos. Se a pessoa receber o tratamento adequado, a qualidade de vida melhorará muito. Em alguns casos, pode haver a necessidade de intervenção de um Fisioterapeuta e de um Psicólogo.

Deixe uma resposta