O que é mediunidade?

Por: Amaury de Almeida Costa

Popularizada no Ocidente com a Doutrina Espírita. A mediunidade seria uma característica comum a todos os seres humanos.

A mediunidade é a capacidade de colocar-se em contato com alguém que já morreu. De acordo com o Espiritismo e a Umbanda, por exemplo, todos os seres são médiuns, mas nem todos têm a capacidade de utilizar suas faculdades mediúnicas de forma educada. A mediunidade geral surge na forma de inspirações, intuições e, nos casos negativos, como obsessões simples, fascinações e subjugações.

O que é mediunidade?

A mediunidade específica é aquela em que a pessoa desenvolve um dom marcante no relacionamento entre encarnados e desencarnados. Os tipos mais comuns são a psicofonia (o Espírito fala através do médium), psicografia (quando o Espírito escreve) e vidência (o médium vê e ouve as entidades; no caso de vidência a distância, recebe o nome de clarividência). Há também o médium de efeitos físicos, que provoca movimentos, escrita e voz indireta e outros, mas são casos cada vez mais isolados. Aparentemente, a mediunidade tende a se tornar cada vez mais ampla e menos espetacular.

Quando falamos que a mediunidade é comum a todos os seres humanos, não queremos dizer que seja uma qualidade inata que pode ser usada à vontade. Ela sofre intermitências, alguns fatores como estresse e doenças podem provocar a suspensão da atividade e, claro, como se trata de comunicação com outros seres, depende da possibilidade e vontade de estes seres já sem corpos físicos de entrar em contato com o médium.

Outras explicações

A parapsicologia entende que todos estes fenômenos são percepções extrassensoriais (PES), mas nada tem a ver com a comunicação com os mortos. Telepatia (conversa a distância), telecinese (movimento de objetos) e clarividência seriam formas de comunicação entre duas pessoas vivas, mesmo que o sujeito das experimentações não tenha consciência disso. A parapsicologia tem sido tachada como pseudociência, em função do fracasso em obter comprovações em laboratório.

Enquanto o Espiritismo encontra no perispírito (espécie de corpo semimaterial que funciona como elo de ligação entre corpo e Espírito e acompanha o Espírito após a morte) a explicação para a mediunidade – a entidade comunicante exerceria um tipo de pressão sobre o perispírito do encarnado, e não diretamente sobre o corpo), a projeciologia entende que o Espírito encarnado se projeta no ambiente imaterial e ali colhe experiências e conhecimentos, transmitindo-os da forma mais adequada, pela escrita, palavra ou descrição de locais e pessoas com quem estiveram em contato.

Alguns brasileiros dedicaram a vida à mediunidade. É o caso de José Arigó e suas cirurgias espirituais e Francisco Cândido Xavier, com centenas de livros psicografados sobre os mais diversos temas. Realidade ou mito, a psicografia bem utilizada pode servir de consolo e estímulo para os que ainda estão aquém da realidade espiritual objetiva.

Deixe uma resposta