O que é o teste do pezinho?

Por: Amaury de Almeida Costa

Exame bastante simples, o teste do pezinho pode identificar inúmeras doenças.

O teste do pezinho, também chamado de triagem neonatal, é um exame laboratorial feito em recém-nascidos, para diagnosticar doenças genéticas (transmitidas pelos pais) e congênitas (desenvolvidas no útero materno) que podem causar problemas graves para a saúde do bebê. Com o diagnóstico precoce, várias enfermidades podem ser tratadas antes mesmo de os sintomas se manifestarem.

O que é o teste do pezinho?

Os resultados são informados aos pais e ao pediatra em uma semana. São três os tipos de teste do pezinho: básico, avançado e ampliado. É o médico quem determina qual exame deve ser feito, com base no histórico da gestante, nas avaliações pré-natais e na maior incidência de doenças na região em que a criança nasceu.
O teste é realizado a partir de amostras de sangue retiradas do calcanhar, região rica em vasos sanguíneos, e, feito em boas condições de higiene e assepsia, não representa nenhum risco para o bebê. Alguns pediatras preferem colher o material no braço, região que seria menos dolorosa para a criança. De qualquer forma, a coleta é bastante rápida e o teste pode salvar vidas.

O exame identifica doenças como fenilcetonúria (distúrbio que pode causar retardo mental), hipotireoidismo (relacionado a deficiência mental e retardo do crescimento), galactosemia (Intolerância à galactose presente no leite materno, provoca diarreia, catarata e convulsões), toxoplasmose, rubéola, anemia falciforme, doença de Chagas e Aids (todas transmitidas pela mãe, se estiver infectada).

O teste do pezinho deve ser feito a partir do terceiro dia de vida do bebê. No Brasil, o teste é obrigatório. O Sistema Único de Saúde (SUS) instituiu em 2001 o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que realiza exames para identificar quatro doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme e fibrose cística. No entanto, os testes ainda não são realizados em todo o país. Os exames avançados e ampliados, que podem diagnosticar até 30 doenças, não são cobertos pelo SUS. O resultado normal do teste do pezinho não é indicação de ausência de doenças genéticas ou adquiridas; o exame não diagnostica, por exemplo, a síndrome de Down.

Muita gente confunde o teste do pezinho com a impressão da planta do pé feita pelas maternidades, que é feita apenas para garantir a identificação do bebê. No teste do pezinho, o sangue é armazenado em pequenas gotas no cartão de Guthrie, posteriormente enviado para o laboratório. Robert Guthrie foi um médico americano, introdutor dos testes de triagem neonatal.

Deixe uma resposta