Saúde e Bem Estar

O que é pandemia?

Endemia, epidemia e pandemia são três níveis que uma doença pode atingir. A pandemia pode exterminar uma nação inteira.

A pandemia ocorre quando um vírus passa por uma pequena área, espalha-se para uma região maior e quando as pessoas percebem, os cinco continentes estão sendo atingidos. Até hoje a pandemia mais devastadora registrada foi a peste negra, entre 1347 e 1351, quando um terço da Europa morreu. Até mesmo a gripe comum pode ter seu vírus modificado e transformar-se numa pandemia.

Publicidade

Apesar de hoje não haver nenhum fungo ou vírus com poder de acabar com a população, sem aviso pode ocorrer uma mutação ou surgimento de novos organismos mais perigosos, e desencadear uma pandemia. Se acontecesse numa área rural, em um mês a área poderia ser isolada. Se ocorresse em zona urbana, em poucas semanas o mundo inteiro estaria contaminado. Veja como seria se uma pandemia ocorresse atualmente.

E se…

Publicidade

1. Tudo começa na Ásia. Mutações dão origem a um vírus presente nos morcegos. Os guaxinins comem as fezes infectadas e, ainda vivos, são levados a restaurantes para abate. Lá, os cozinheiros são arranhados e mordidos pelos bichos irritados, e o vírus começa sua trajetória em humanos. Fezes ressecadas dos guaxinins produzem um pó também infectado, e quem inala pega o vírus.

2. Pelo o ar o vírus passa a ser transmitido. Antes de ter diarreias e vômitos, além de febre alta e dificuldades respiratórias, o doente infecta cerca de cinco pessoas. 10% das pessoas infectadas não sobrevivem.

3. O governado da China manda pesquisadores para analisar os acontecimentos das pequenas vilas. Sem resultados nem sintomas, tudo é considerado normal até que três homens apresentam sintomas e um morre. O país não diz nada a OMS, pois seria um sinal de fraqueza.

4. Os sintomas são como uma doença comum e só depois de várias mortes numa localidade os médicos percebem algo errado. Remédios não resolvem, e vírus comuns e bactérias não respondem aos testes.

5. Comunidades são isoladas para conter a infestação. Nada mais de migrantes ou doentes saindo do município. Como os sintomas só aparecem depois de quatro dias, muitas pessoas contaminadas sem saber viajam e espalham a doença para outras regiões.

6. Enfermos em aviões vão para grandes centros urbanos como Hong Kong. Como pessoas de toda parte visitam a cidade, o local vira ponto de contaminação, e os contaminados voltam para seus países espalhando a doença para todos os cantos do mundo.

7. A doença está descontrolada e cientistas das maiores faculdades investigam a doença. As vacinas são fabricadas devagar, não podendo atender a todos os continentes. Países pobres têm de esperar para importar mais vacina. Aeroportos fecham, quase não há mais turismo e a China tem prejuízos bilionários.

8. A cada 100 infectados, 10 morrem. Os que continuam vivos precisam ser socorridos. Hospitais e cemitérios enchem, e nas escolas e no comércio não há trabalhadores, tudo para. O transporte público é quase zero e quem pode trabalha em casa.

9. Nos países subdesenvolvidos, o número de mortes dobra. A doença mata muito, mas a crise econômica mundial tem sua parcela de culpa. Por falta de trabalhadores a produção de alimentos diminui drasticamente e o mundo tem poucos recursos para resistir.

Publicidade

Deixe uma resposta