Saúde e Bem Estar

O que é placebo?

Segundo estudos esta pílula de açúcar pode acabar com dores e trazer bem estar.

Placebo é uma droga que não faz efeito direto em doenças. É feito com pílulas de açúcar e imita um medicamento. A palavra tem origem no latim, do verbo “placere” e que significa agradar.

Publicidade

Os médicos e pesquisadores usam testes de drogas e tratamentos. Eles fazem testes para ver se o remédio tem melhores resultados.

O médico também pode usar o placebo quando um medicamento pode causar efeitos colaterais indesejáveis e então o placebo pode ajudá-lo em sua melhora.

Publicidade

Quando o placebo provoca efeito colateral desagradável é chamado de nocebo, que também tem origem no latim nocere que significa provocar dano.

Estudos realizados constataram que o placebo fez efeito em doenças. A atenção do médico também contou na recuperação quem recebeu mais cuidados do médico melhoraram mais rápido. A confiança que o paciente tem neste médico por si só já traz um alívio imediato.

Até mesmo em cirurgias o placebo trouxe resultados positivos.

Isto ocorre porque a pessoa que toma uma pílula de açúcar achando que é um remédio, apresenta uma maior expectativa de melhora. Então a área do cérebro que processa as emoções influencia todo o organismo. Porém o médico terá que ter o cuidado de a doença continuar progredindo e o paciente se sentir bem somente com o placebo.

É o que chamamos de fenômeno da atenção seletiva. Em guerras, soldados eram feridos e seu membro dilacerado. Porém só sentiam dor quando a batalha terminava, antes estavam só concentrados no conflito. No uso do placebo acontece algo parecido pois a rede de neurônios troca a sensação de dor pelo bem-estar.

Porém o médico não pode prescrever placebo e falar para o paciente senão o tratamento não funciona.

Outra teoria vem da psicologia que é a do reflexo condicionado. Quem descobriu esta teoria foi fisiologista russo Ivan Pavlov que ganhou o prêmio Nobel de Medicina, em 1902. Ele fez uma experiência com um cão que salivava ao ouvir um sino pensando no pedaço de carne que iria receber. Então o efeito placebo segue a mesma linha do condicionado involuntário.

O efeito placebo foi estudado pela Universidade de Harvard que testou a pílula para distúrbios como dor, hipertensão arterial e asma. Das pessoas que participaram desta pesquisa cerca 40% dos pacientes tiveram alívio.

O estudo com placebo constata que pode ocorrer a autocura e que existe uma relação entre a mente e o corpo. Também a fé e as crenças do paciente interferem no tratamento com o placebo.

Publicidade

Deixe uma resposta