O que é Pré-História?

Por: Amaury de Almeida Costa

Um longo período em que o ser humano desenvolveu a civilização.

A Pré-História é a fase da aventura humana, desde o surgimento do Homo sapiens até a invenção da escrita. Didaticamente, a Pré-História vai de cerca de 200 mil anos atrás até 3500 a.C., quando os egípcios criaram os hieróglifos (a palavra significa “escrita sagrada”, porque apenas membros do clero e da realeza conheciam a arte de ler e escrever os sinais).

O que é Pré História?

Por este critério, a Pré-História só terminou no Brasil em 1500, com a chegada dos portugueses e a famosa Carta de Caminha (escriba da esquadra, destinada ao rei Manuel I, de Portugal); na Austrália, só no século XVIII. Povos contemporâneos que não conhecem a escrita continuam vivendo a Pré-História. A maioria dos historiadores concorda em que não há uma Pré-História, apenas um período anterior à escrita, uma vez que o homem vive muito bem, seja letrado, seja ágrafo. Na Idade Média europeia, a imensa maioria da população não sabia ler e, até o início do século XX, muita gente condenava o ensino da leitura e escrita para as mulheres, que só tinham que saber cozinhar, passar, lavar…

Por outro lado, considerando a questão didática, a Pré-História termina exatamente quando Menés (ou Manés) unificou os reinos do alto e baixo Egito e as crônicas dos reis começam a se popularizar. Estes textos contam as vitórias e virtudes dos soberanos, deixando de lado as derrotas e defeitos.

A escrita surgiu antes disso, na Mesopotâmia (região do Oriente Médio entre os rios Tigre e Eufrates), criada pelos sumérios, que usavam glifos em forma de cunha, mas a arqueologia só encontrou resquícios de registros cuneiformes muito depois que os hieróglifos egípcios foram decifrados, por uma razão simples: enquanto os egípcios grafavam na pedra e deixaram muitos documentos em papiros guardados em pirâmides e templos, os sumérios escreviam em tabuletas de argila e muitas se perderam com o tempo. A idade das tábuas dos sumérios só pôde ser comprovada com testes de carbono-14, que só surgiram em 1947.

Podemos considerar que a História é o período que pode ser estudado a partir de documentos deixados por nossos ancestrais, enquanto a análise da Pré-História depende de restos humanos e sinais da sua presença, como ruínas e utensílios utilizados.

A Pré-História divide-se em dois grandes períodos. Idade da Pedra, quando o homem começou a produzir artefatos de pedra lascada, e Idade dos Metais, que tem início quando começa a dominar a metalurgia. Esta divisão é bastante arbitrária, já que os diversos povos da Antiguidade clássica aperfeiçoaram estas técnicas em épocas diferentes. O que se pode dizer é que, nos cem mil anos anteriores à civilização egípcia, o homem criou milhares de instrumentos para aumentar sua segurança e bem-estar, o que continua acontecendo até hoje. Como diz o poeta, “o tempo não para”.

Deixe uma resposta