Saúde e Bem Estar

O que é proteína Arc?

Está proteína pode auxiliar no tratamento de doenças neurológicas como Alzheimer e Autismo.

A proteína Arc é uma substância que age no cérebro e transforma o aprendizado em memória de longo prazo.

Publicidade

Cientistas estão estudando está proteína e descobriram que ela é muito importante para resolver problemas neurológicos. Os estudos revelaram também que ela pode ajudar no autismo e que existe uma falta desta proteína ainda no cérebro de quem possui Alzheimer.

Quem coordena a pesquisa é o professor de fisiologia e neurologia da Universidade da Califórnia Steve Finkbeiner. Ele e os cientistas fizeram experimentos em cobaias e descobriram que elas até aprendiam novas tarefas, mas no dia seguinte esqueciam. Então descobriram que está proteína é um “regulador mestre” dos neurônios.

Publicidade

Para o aprendizado seja lembrando tempos depois o cérebro precisa das memórias de longo prazo. Isto ocorre graças a sinapses que são regiões que ligam dois neurônios e que transmitem as informações. Porém deve haver um equilíbrio pois se houver um estímulo exagerado das sinapses pode ocorrer crises epiléticas.

Então a Arc tem função reguladora do processo chamado de plasticidade homeostática fazendo com que os neurônios fortaleçam as sinapses e também proporcionam o equilíbrio das mesmas.

Também esta proteína faz com que alguns genes possam ser “ligados” e “desligados” em momentos específicos, e isto ajuda a gerar as novas memórias.

Cientistas estão confiantes que os estudos realizados podem levar a descobrir novos métodos para curar as doenças neurológicas como Alzheimer e Autismo.

Existe uma enzima que também interfere no cérebro, é a UBE3A queinterage com uma proteína neuronal. Ela foi descoberta por Michael Greenberg da Universidade de Harvard Medical School.

Esta enzima interfere na Síndrome de Angelman que é uma doença rara e grave, que afeta o desenvolvimento nas crianças, provocando retardo mental e até mesmo o autismo. A perda desta enzima interfere na habilidade do cérebro.

Publicidade

Deixe uma resposta