Curiosidades

O que é rolfing?

Criado por Ida Rolf em 1950, o rolfing é um procedimento terapêutico que visa à reestruturação estrutural.

O rolfing não é oficialmente reconhecido pelas entidades médicas, mas é validado por inúmeras pesquisas científicas. Consiste na aplicação de pressões em diversas partes do corpo, especialmente músculos e tecido conjuntivo. O objetivo é a reestruturação dos movimentos. De acordo com a criadora, o rolfing “não cura doenças: invoca saúde”. É uma terapia corporal que melhora postura e movimento. É indicado como auxiliar nos tratamentos de problemas musculares e ósseos.

Publicidade

O rolfing alonga o corpo, elimina pontos de tensão, alivia dores musculares crônicas, condiciona o aparelho cardiorrespiratório e aumenta a vitalidade orgânica.

Especialistas afirmam que a técnica melhora a consciência corporal e estimula o desenvolvimento emocional. É indicado também para hérnias de disco e lombalgias.

Publicidade

Anatomicamente falando, o rolfing entende o corpo humano como uma estrutura vertical em relação à superfície terrestre, formada por segmentos articulados. O rolfing trabalha todos os músculos, para proporcionar conforto e bem-estar e menos desgaste aos movimentos, o que auxilia o funcionamento de todos os sistemas orgânicos.

A técnica obedece ao protocolo das dez sessões. A primeira abrange uma grande área física. Peito e quadris são trabalhados para melhorar as funções cardíaca e respiratória e alinhar a pélvis ao eixo determinado pela coluna vertebral; na segunda, os alvos são pés e pernas. Devolve-se a elasticidade aos membros inferiores e garante-se melhor suporte e passadas harmoniosas. As costas são beneficiadas, para aumentar a flexibilidade da coluna; na terceira, as laterais do corpo são trabalhadas e é feita a integração das duas primeiras sessões. O paciente passa a observar o abdômen e toma consciência dos movimentos respiratórios.

A quarta trabalha o eixo central do corpo, trabalhando ao longo das partes internas das pernas, do calcanhar à pélvis. Tensões emocionais podem emergir imediatamente ou alguns dias depois da sessão; a quinta continua trabalhando o eixo, desta vez do púbis ao pescoço. O paciente começa a perceber o papel dos músculos abdominais em conjunto com os membros inferiores. A sessão integra pernas e tronco.

Na sexta, o trabalho é feito na pélvis. O paciente é levado a observar o papel da cintura pélvica nos deslocamentos. O cóccix é equilibrado. O trabalho da sétima sessão é equilibrar pescoço e cabeça. Nas três últimas, é feita a revisão do trabalho desenvolvido, que leva o paciente a uma grande conscientização da integração entre os segmentos corporais. A última sessão trabalha com o paciente em pé, para que ele tenha a percepção real e imediata das habilidades conquistadas.

O rolfing – Método Rolf de Integração Corporal – é marca registrada em diversos países, inclusive no Brasil. Os terapeutas são formados por associações vinculadas à Associação Brasileira de Rolfing.

Publicidade

Deixe uma resposta