O que é sexo tântrico?

Por: Amaury de Almeida Costa

Na cultura hinduísta, o ser humano foi criado andrógino. Uma vez que os sexos foram separados, os seres só conseguem atingir a completude através do sexo. E o sexo tântrico é uma forma de prolongar esta conexão, adiando o orgasmo masculino e, com isto, ampliando a relação sexual.

O que é sexo tântrico?

Os hindus não têm a dicotomia corpo e espírito, como ocorre no Ocidente. Para eles, a integração com o universo só é possível com a plena satisfação dos sentidos. E o sexo faz parte disso. O céu irradia energia yang, enquanto a Terra é a fonte da energia yin. A vida surge da união das duas formas de energia: o homem é yang, a mulher é yin. Quando se unem, formam o Tao: o equilíbrio, a harmonia. Prolongar esta união pelo máximo tempo possível é, portanto, prolongar o equilíbrio.

Antes de a influência judaico-cristã dominar a cultura ocidental, os gregos imaginavam o sexo como a união entre o céu (Urano) e a Terra (Gaia), numa relação permanente, infinita. Quando o pecado foi introduzido na cultura, o sexo passou a ser visto como algo ruim e depravado, mas na verdade a carne não é fraca. A carne (o corpo) é apenas um instrumento comandado pela mente. Ainda hoje, não conseguimos superar a vergonha: sexo é motivo de piadas, quando deveria ser uma forma de autoconhecimento. Rejeitar ou ignorar necessidades básicas não é a melhor maneira de aprender a ser.

Tantra, em sânscrito, significa trama, tecido, no sentido de que tudo se entrelaça no universo. No sexo tântrico, o importante é alcançar o prazer supremo. Não importa o número de orgasmos, mas a qualidade e intensidade da relação sexual, a comunhão física e espiritual entre os parceiros.

Na prática, sexo tântrico é sexo sem pressa. Alguns estudos indicam que a maioria dos homens ejacula dois minutos após a penetração, o que não é nada tântrico. Um coito tão curto certamente não contempla as necessidades femininas.

Então, para começar, é preciso aumentar a fase preliminar. Carícias, beijos e afagos aumentam o prazer e predispõem os parceiros: o corpo aproveita este tempo para relaxar e umedecer-se. Em seguida, a penetração. Se o seu tempo para ejacular é de dois minutos, afaste-se da parceira depois de 90 segundos. Volte aos abraços, explore o corpo, descubra pontos erógenos. Você pode se surpreender ao descobrir que há prazer até na articulação atrás do joelho.

Brinque muito. A relação sexual deve durar ao menos duas horas, mas pode durar um dia inteiro. Ao contrário da mulher, o homem não consegue manter-se excitado imediatamente depois do orgasmo. Já que é assim, o homem não deve gozar. Pare, faça uma massagem, use óleos aromáticos, cremes saborosos, fale besteira, use roupas e brinquedos estimulantes, ouça música e faça movimentos sincronizados com o ritmo que está tocando.

Se você está acostumado com “o amor mal feito, depressa, fazer a barba e partir”, não será uma tarefa fácil incorporar o sexo tântrico à sua rotina. Se for difícil no início, comece o sexo em público, com carinhos que só os parceiros percebem. A recompensa vale a pena. Aliás, não é recompensa: é consequência. Aumenta muito o seu bem-estar e faz bem até para a pele.

Deixe uma resposta