Comportamento

O que é transcomunicação instrumental?

A TCI – transcomunicação instrumental – usa aparelhos eletrônicos para contatar espíritos e seres de outras dimensões.

A possibilidade de contato com os mortos sem a presença de um médium foi considerada por diversos inventores, desde do início do século XX. O americano Thomas Edison afirmou em entrevista concedida em 1920 que estava trabalhando numa espécie de telefone para se comunicar com o além. A primeira obra a abordar o assunto é “Os Espíritos Falando pelo Telefone”, do pesquisador espírita brasileiro Oscar D’Argonnel, de 1925. Transcomunicação instrumental é isto: a tentativa de contatar espíritos por meio de telefones, TVs, computadores, etc. As mensagens são gravadas e estudadas por técnicos de som e luz.

Publicidade

Alguns grupos que estudam a TCI afirmam captar também mensagens de alienígenas e habitantes de outras dimensões do universo, que poderiam fornecer ensinamentos mais elevados, por provirem de planetas que atingiram um grau de desenvolvimento mais elevado que o da Terra.

Os pesquisadores da transcomunicação instrumental afirmam ter como objetivo fornecer evidências incontestes da vida após a morte. Os fenômenos são exaustivamente estudados e todas as interferências são analisadas. Outro objetivo é captar mensagens de entes queridos falecidos, para levar consolo aos parentes ainda encarnados.

Publicidade

A gravação de voz e imagens dos comunicantes não deixaria espaço para dúvidas. Além disso, são obtidas mensagens de orientação específicas e gerais e entidades problemáticas são auxiliadas e encaminhadas a postos de tratamento na espiritualidade.

Inicialmente, os sons captados tinham muitos chiados e eram quase ininteligíveis. Hoje, com o uso de softwares de correção, os ruídos foram eliminados e as gravações tornaram-se nítidas. O mesmo ainda não acontece com as imagens: a maioria é desfocada e de difícil interpretação.

Diversas pessoas confirmaram que a voz é do familiar falecido. Mas há controvérsias.

Da mesma forma que as mensagens psicografadas, as gravações despertam emoções bastante fortes. É possível que o desejo de uma pessoa em contatar um ente querido falecido prejudique o seu raciocínio e capacidade de análise. Existem fatos íntimos relatados, conhecidos apenas no âmbito da família, que poderiam confirmar a veracidade, mas não se pode afastar objetivamente a possibilidade de fraudes.

Os defensores da transcomunicação instrumental rebatem que a fraude só pode ocorrer quando há um interesse, geralmente financeiro, e isto não acontece em institutos sérios que pesquisam a TCI.

Se as experiências com transcomunicação instrumental se baseiam em premissas reais ou não, só o tempo poderá dizer. De qualquer forma, se ela pode consolar e instruir, já está fazendo um grande bem para as pessoas que a procuram.

Publicidade

Deixe uma resposta