Curiosidades

O que é um pesadelo?

O pesadelo é um sonho penoso com imagens assustadoras e situações opressivas ou de risco.

O sono é uma necessidade fisiológica básica para o repouso do corpo e da mente e também para a fixação do aprendizado. Desde que passamos a dormir por períodos mais longos, passamos a sonhar durante alguns períodos do sono e, algumas vezes, ocorrem sonhos nada agradáveis: os pesadelos.

Publicidade

O pesadelo provoca opressão no peito, dificuldade na respiração, aumento na frequência cardíaca e, mesmo quando a pessoa não se recorda dos fatos ocorridos durante o sono, acorda sobressaltada, agitada, ansiosa e mesmo desorientada. Muitas vezes, é preciso que um parente acalme o recém-despertado, especialmente quando se trata de crianças e jovens.

As causas

As causas mais prováveis do pesadelo são o acúmulo de pensamentos negativos durante o dia, filmes e leituras, especialmente para pessoas suscetíveis. O cérebro processa as informações, gerando sons e imagens. Isto varia de pessoa para pessoa: enquanto uma pessoa pode assistir a um filme de terror, outra pode predispor-se a um apelo apenas com a visão de uma cena.

Publicidade

Seja como for, quando estamos desacordados, as limitações do inconsciente se afrouxam, e é no inconsciente que estão depositados nossos medos, vergonhas e dificuldades diversas, que são ocultadas durante o dia. Ao serem liberadas, provocam os sonhos assustadores.

De acordo com o médico checo Sigmund Freud, que criou a Psicanálise, os pesadelos acontecem quando entramos em contato com desejos proibidos latentes, que surgem como algo ameaçador, aumentando a tensão psíquica e determinando o despertar.

Refeições muito pesadas logo antes de se deitar e o uso de álcool e drogas (inclusive medicamentos para dormir e antidepressivos) também podem ser a causa dos pesadelos. Nestes casos, é preciso mudar os hábitos.

Pesadelos espaçados são comuns a quase todas as pessoas. Quem passa por uma situação traumática, como um acidente de trânsito, pode não ter tempo de processar todas as informações do evento imediatamente e liberá-las durante o sono. Este é um fato normal, que não requer maiores cuidados, são apenas uma forma de incorporar situações desagradáveis ou de risco.

Na Medicina do Sono, os pesadelos são classificados como um tipo de parassonia, manifestações anormais que resultam em interrupção do sono. Está ao lado do despertar confuso, terror noturno (medo irracional do escuro, por exemplo), sonambulismo, distúrbios alimentares noturnos e distúrbio do REM (sigla em inglês para rapid eye movement, ou movimento rápido dos olhos, período em que ocorrem os sonhos).

Pesadelos entre jovens

No início da adolescência, é comum a ocorrência mais frequente de pesadelos, relacionados ao estresse. Nesta fase, os compromissos sociais – escola, cursos extracurriculares, clube, academia, passeios com os amigos – são intensificados e muitos jovens precisam de mais tempo para adaptar-se a todas as atividades.

Em alguns casos, quando os pesadelos interrompem excessivamente o descanso noturno, pode ser necessário o encaminhamento para a terapia, já que a falta prolongada de sono irá prejudicar ainda mais o cumprimento das atividades, aumentando a ansiedade.

A introspecção excessiva

Pessoas excessivamente tímidas, que não encontram canais adequados para liberar suas frustrações e medos, podem sofrer com pesadelos. As emoções negativas recalcadas são transformadas nas imagens terríveis do pesadelo, como forma de descarregar as tensões acumuladas.

Todos nós sonhamos algumas vezes a cada noite. Algumas pessoas dizem nunca sonhar (apenas porque não registram conscientemente o conhecimento), enquanto outras guardam cenas e diálogos vividamente. Existem relatos médicos de pacientes que não conseguem separar corretamente a realidade e o sonho, o que pode trazer prejuízos ao dia a dia.

Nestes casos, o indivíduo deve procurar tratamento psicológico, para aprender a lidar com suas necessidades e desejos. É preciso fazer um exercício de autoavaliação e procurar o acompanhamento o quanto antes, para não comprometer a vida pessoal e profissional.

Íncubos e súcubos

São demônios muito conhecidos durante a Idade Média: as gárgulas, aqueles monstrinhos pousados nas calhas das igrejas medievais estão lá porque supostamente afastariam a presença dos demônios. Em inglês, a palavra para súcubos é “nightmare”, mesmo termo utilizado para pesadelo.

Até cerca de 400 anos atrás, os ingleses acreditavam que estas figuras infernais invadiam os quartos dos incautos, inclusive para atacá-los sexualmente (íncubos são masculinos e súcubos, femininos), sufocá-los e torturá-los. Pessoas que sofriam com pesadelos constantes eram consideradas endemoninhadas e muitas foram submetidas a exorcismos.

Publicidade

Deixe uma resposta