O que é uma Ameba?

Por: Ananda Manica

A Ameba é um pequeno animal, com tamanho microscópico, com uma organização bastante simples. O corpo destes pequeninos animais é constituído por apenas uma célula com contorno bastante irregular e com membrana envolvente indefinida. O citoplasma pode ser separado em duas partes, uma espessa e periférica denominada ectoplasma, outra fluida, interna, denominada endoplasma. Ao meio do citoplasma, encontra-se o núcleo, que é uma estrutura importantíssima, que é capaz de controlar todas as atividades vitais deste pequeno organismo.

O que é uma Ameba?

No endoplasma das amebas, existem diversos vacúolos, alguns com partículas nutritivas e outros aparentemente são vazios. Depois de crescer, as amebas, geralmente, se reproduzem através de um processo denominado cissiparidade ou bipartição. Através desse processo, a célula da ameba, que é única, se divide em duas, formando dois indivíduos exatamente iguais, as duas recebem porções iguais de citoplasma e de substância nuclear ( do núcleo).

Estes animais pertencem ao sub reino dos protozoários e a ordem dos amebinos. Algumas espécies possuem uma carapaça calcária no corpo, que serve para proteger o corpo.

O que é uma Ameba?

A locomoção das amebas é feita por expansões temporárias do citoplasma, denominadas pseudópodes, ou seja, falsos pés. Estes falsos pés se formam em qualquer parte da porção periférica do copo da ameba. O movimento dos pseudópodes é denominado movimento amebóide, e ele não servem apenas para a locomoção destes animais, mas também para captar corpos estranho ou também capturar alimentos. Quando a ameba encontra alguma substância nutritiva, ela acaba a envolvendo com os seus psudópodes, fazendo com que a partícula nutritiva passe para o interior do citoplasma, onde ela é englobada por um vacúolo digestivo, para posteriormente ser eliminada pelo vacúolo contrátil.

A maioria das amebas possui vida livre e pode se encontrada em locais com água doce ou salgada e também na terra úmida. Há também algumas espécies que vivem no interior do corpo de outros animais, como parasitas ou apenas como “inquilinos”, sem causar danos.

Um comentário

  1. Aldo Brásio
    4 de julho de 2012

    Muito util era mesmo isso que eu procurava

Deixe uma resposta