Artes e Cultura

O que é xamanismo?

O xamanismo mistura atividades médicas, rituais de magia e o contato com espíritos de homens e animais.

O xamanismo é o conjunto dos conhecimentos empíricos reunidos pelos homens primitivos. O uso de ervas para fins terapêuticos é amplamente utilizado, acompanhado de cerimônias para atrair favores das divindades, de espíritos de familiares, outros xamãs e, em alguns casos, de animais (totens de tribos norte-americanas são exemplos da crença do poder de espíritos de animais).

Publicidade

O xamanismo surgiu naturalmente entre todos os povos. Ele é o germe da religião organizada. Magos, pajés, feiticeiros, todos exerceram e exercem práticas xamânicas, adaptadas para a estrutura geográfica da região: recursos naturais, clima, etc.

Além da cura, o xamanismo também atende a outras necessidades da tribo: propicia o favor dos espíritos protetores para coleta, caça, pesca e colheitas. É usado regular fenômenos naturais, como chuva, calor e frio intensos. O sacerdote é o xamã, que geralmente entra em transe para se comunicar com os mortos.

Publicidade

Em alguns casos, como entre tribos mexicanas e americanas, o uso de alucinógenos é comum. Noutros, o uso de toques ritmados e danças podem induzir a um estado alterado de consciência, que revelaria aspectos e situações ao oficiante que não são visíveis aos olhos comuns.

Em muitas culturas, xamãs são apenas sempre de um mesmo sexo. A história comum destes indivíduos tem sempre um chamado, uma situação inesperada que revela a missão. O desenvolvimento de um xamã é um processo longo e quase sempre secreto. A instrução consiste no uso de plantas medicinais e outras técnicas de cura, além do treinamento de técnicas para atingir o êxtase.

De acordo com o antropólogo Claude Lévi-Strauss, o xamanismo está relacionado a distúrbios mentais, como epilepsia, histeria ou psicose. Por outro lado, a frequência de psicoses é mais comum em culturas onde não existe a figura do xamã. As práticas rituais seriam uma forma de canalizar e estabilizar as doenças, ao lhes conferir uma tarefa importante no grupo.

No Brasil, é bastante conhecida a cerimônia xamânica da pajelança, forma de comunicação com os ancestrais obtida com cânticos e toques de maracás. A pajelança teria o poder de afastar espíritos malignos responsáveis por doenças e outros distúrbios. Os doentes que se submetem ao ritual devem seguir as prescrições do pajé, que incluem restrições alimentares, abstinência sexual ou isolamento.

A partir de 1960, ocorreu uma redescoberta do xamanismo por grupos urbanos. O xamanismo moderno envolve contatos com a natureza, conceitos ecológicos, solidariedade e ética, além dos rituais para atingir o transe. O xamã da atualidade trata doenças, aconselha individual e coletivamente. Várias cidades de médio e grande porte já contam com xamãs, para contatos com a espiritualidade.

Publicidade

Deixe uma resposta